Blog

02.10 - 08h47min

“Outubro Rosa” conscientiza o mundo todo sobre os perigos do câncer de mama

Mais de 57 mil casos da doença foram diagnosticados em 2016 no Brasil. Veja quais são os cuidados que as mulheres devem tomar!

“Outubro Rosa” conscientiza o mundo todo sobre os perigos do câncer de mama

Se você está aqui, lendo este texto, é porque provavelmente utiliza a internet diariamente. Sendo assim, também é bastante provável que tenha visto por aí muitas manifestações online em apoio ao Outubro Rosa. Mas você sabe qual é o verdadeiro intuito desse movimento?

Com uma aderência que cresce a cada ano, o Outubro Rosa nasceu nos Estados Unidos, em 1997. Tudo começou quando algumas cidades americanas decidiram realizar ações de conscientização em relação ao câncer que mais mata mulheres no mundo inteiro: o câncer de mama.

De lá pra cá, 20 anos depois, a ação conquistou não só o Brasil, mas diversos outros países. Durante o mês de outubro, monumentos famosos como a Torre Eiffel, em Paris, e o Cristo Redentor, no Rio, ganham a coloração rosa por conta do movimento… Vamos falar um pouco mais sobre ele!

Outubro Rosa: lutando por uma grande causa

Representado por um pequeno laço cor de rosa, o movimento Outubro Rosa surgiu com o intuito de chamar a atenção das mulheres do mundo inteiro para um problema sério: o câncer de mama.

A doença, que impactou a vida de mais de 57 mil brasileiras em 2016, é a que mais mata mulheres no mundo inteiro. Para se prevenir é bem simples: o Ministério da Saúde recomenda autoexame em casa e, para quem tem entre 50 e 69 anos, exame de mamografia a cada dois anos.

Já para quem está no chamado grupo de “risco elevado”, ou seja, mulheres com histórico familiar de câncer de mama em um parente de primeiro grau antes dos 50 anos, histórico familiar de câncer de mama bilateral ou de ovário em qualquer idade, histórico familiar de câncer de mama masculino ou diagnóstico histopatológico de lesão mamária proliferativa com atipia ou neoplasia lobular in situ, os exames devem começar aos 35.

Para se ter uma noção da importância do diagnóstico precoce, segundo o Instituto Oncoguia, cerca de 95% dos casos podem ser curados se a doença for detectada em estágio inicial.

Cerca de 30% dos casos poderiam ser evitados com hábitos saudáveis

O Instituto Nacional de Câncer (Inca) afirma: 30% dos casos de câncer de mama no país inteiro poderiam ser evitados somente com a adoção de um estilo de vida mais saudável.

Dentre as recomendações do Inca às mulheres estão a prática regular de atividade física, manter o peso adequado, evitar o consumo de bebidas alcoólicas, amamentar e apostar em uma alimentação saudável. Morango, ameixa e maçã são algumas frutas que têm propriedades comprovadamente eficientes contra o câncer de mama.

Deixe o seu comentário